Uma Palavra Amiga

Cristo ensina coisas celestiais

28 de Fevereiro
Ensina-me, Senhor, o Teu caminho, e andarei na Tua verdade; dispõe-me o coração para só temer o Teu nome. Salmos 86:11.
Ouvir

Aquilo que, nos conselhos celestes, o Pai e o Filho julgaram essencial à salvação do homem, acha-se claramente apresentado nas Escrituras Sagradas. As infinitas verdades da salvação são tão claramente expressas, que os seres finitos que desejam conhecer a verdade não podem deixar de compreender. Têm sido feitas revelações divinas para sua instrução na justiça, a fim de que glorifiquem a Deus e ajudem a seus semelhantes.

Essas verdades encontram-se na Palavra de Deus — a norma pela qual nos cumpre julgar entre o direito e o erro. A obediência a esta Palavra é, para a juventude, o melhor escudo contra as tentações, a que se acham expostos, enquanto se educam. Com essa Palavra aprenderão a honrar a Deus e a ser fiéis à humanidade, cumprindo alegremente os deveres, e enfrentando as provas que cada dia traz, levando corajosamente seus fardos.

Cristo, o grande Mestre, procurou desviar a mente dos homens da contemplação das coisas terrestres, a fim de poder-lhes ensinar as celestiais. Houvessem os mestres de Seu tempo sido voluntários para serem instruídos por Ele, houvessem-se-Lhe unido no semear o mundo com a verdade, e a Terra seria bem diversa do que hoje é. Houvessem os escribas e fariseus juntado suas forças ao Salvador, e o conhecimento de Cristo teria restaurado a imagem de Deus em sua alma.

Os guias de Israel, porém, desviaram-se da fonte do verdadeiro conhecimento. Estudavam as Escrituras apenas para apoiar as próprias tradições e validar suas observâncias de feitura humana. Por suas interpretações, faziam com que elas exprimissem sentimentos nunca manifestados por Deus. O sentido místico que lhe davam, tornava indistinto aquilo que Deus fizera claro. Discutiam pormenores e negavam, por assim dizer, as verdades mais essenciais.

Roubavam à Palavra de Deus o poder, e os maus espíritos executavam assim a própria vontade.
As palavras de Cristo não contêm coisa alguma que não seja essencial. O Sermão do Monte é uma admirável produção, todavia é tão simples que uma criança pode estudar sem incompreensões. O monte das bem-aventuranças é um símbolo da elevação espiritual em que Cristo sempre Se achava. Toda palavra que Ele proferia, provinha de Deus e falava com autoridade do Céu. “As palavras que Eu vos disse”, disse Ele, “são espírito e vida.” João 6:63.

Seu ensino é cheio de enobrecedoras e salvadoras verdades, às quais as mais elevadas ambições dos homens e suas mais profundas indagações não se podem comparar. Ele estava desperto para a terrível ruína iminente sobre a raça, e veio, por Sua justiça, salvar pessoas, trazendo ao mundo definida certeza de esperança e completo alívio