Uma Palavra Amiga

A esperança da ressurreição

21 de Abril
Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão. Porque, como o Pai tem a vida em si mesmo, assim deu, também, ao Filho ter a vida em si mesmo…. Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal, para a ressurreição da condenação. João 5:25-29
Ouvir

Encontramos aqui um outro tópico que percorre toda a narração feita por João so¬bre a história de Jesus. A ressurreição é absolutamente central para a compreensão que ele tem das boas-novas a que chamamos o Evangelho. E este aspeto das boas-novas começa com a ressurreição do próprio Jesus, que ressurgiu da sepultura e alcançou a vitória sobre a morte.

Do nosso ponto de vista, porém, uma parte importante dessa narrativa é que Jesus não obteve a vitória sobre a morte para Si mesmo, mas para cada um dos Seus seguidores. Tal como Ele o afirmou quando explicava a Sua futura ressurreição aos discípulos pouco antes da Sua morte: “porque eu vivo, e vós vivereis” (João 14:19). Ou como o mesmo autor disse no livro de Apocalipse, quando o já ressuscitado Cristo falou com ele: Eu sou “o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Ámen. E tenho as chaves da morte e do inferno” (Apoc. 1:18). Essas chaves, naturalmente, apontam para a nossa própria ressurreição.

João 5:28 não nos diz quando é que ocorrerá a ressurreição – apenas que “vem a hora”. Jesus é mais explícito em João 6, onde lemos: “Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia” (versículo 44). E de novo, “Quem come a minha carne, e bebe o meu sangue, tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia” (versículo 54).

Assim, segundo o Evangelho de João, compreendemos que esse bendito acontecimento terá lugar no final dos tempos. Contudo, lendo João 5:29 só por si fica-se com a ideia de que a ressurreição para a vida e a ressurreição para a condenação têm lugar ao mesmo tempo. No entanto, João corrige este aspeto quando explica em Apocalipse 20 que as duas ressurreições estarão separadas por 1000 anos (o milénio), com os seguidores de Cristo a ressuscitarem aquando da Segunda Vinda e os ímpios a dormirem nas sepulturas até ao final do milénio.

Todos ouvirão a Sua voz; todos serão ressuscitados; mas que diferença tremenda nos respetivos destinos.

Senhor, ajuda-me hoje a pôr a minha vida na perspetiva da eternidade. Desejo de todo o meu coração ver-Te face a face aquando da Tua segunda vinda.